maio 5th, 2017

Galinhos: Com manutenção de frota, prefeito gasta dinheiro que compraria 22 carros populares OKm.

A Prefeitura Municipal de Galinhos realizou mais uma contração milionária nas barbas do Poder Legislativo, e órgãos fiscalizadores da justiça. O prefeito Fábio Rodrigues, assinou a contração de empresa para realização de MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA com aquisição de peças para a frota de veículos próprios e à disposição da Prefeitura de Galinhos, com data em 20 de abril de 2017, e vigência por 12 (doze) meses a partir da sua assinatura, por um valor R$: 775.000,00 (setecentos e setenta e cinco mil reais), com a empresa Ângelo Marcos da S Gurgel – ME – CNPJ: 26.798.936/0001-01.

O prefeito Fabio Rodrigues, já tinha homologado com data de 10 de abril de 2017, outra contratação milionária de ALUGUEL DE VEÍCULOS por R$: 1.317.120,00 “Um milhão trezentos e dezessete mil, cento e vinte reais”, com a mesma empresa.

Pois bem…

A dinheirama só com a MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA  compraria ao menos 22 carros populares 0km ao preço de R$ 35 mil cada. Se juntar as duas contrações de ALUGUEL + MANUTENÇÃO = R$: 2.092.120,00 (dois milhões, noventa e dois mil, cento e vinte reais). Ou seja, o valor total daria para comprar 60 carros populares OKm.

O valor é assustador para uma cidade ilha, com pouco mais de 2.264 habitantes segundo o IBGE. E acreditem se quiser… Os vereadores ELEITOS pelo o povo da Câmara Municipal de Galinhos vêm fechando os olhos para tamanho absurdo com o dinheiro público.

Os motivos do silencio dos Edils, legítimos representante do povo, só eles mesmo podem responder a cada cidadão de Galinhos. Hoje, a população tem uma imagem NEGATIVA dos vereadores, apesar de terem apenas 4 meses de mandato, a câmara fecha os olhos quando deveria abrir antes que a situação fiquem insustentável, e pessoas INOCENTES tenha que pagar um preço alto sem dever.

A justiça pode até tardar… Mas não falha!

Macau: Secretária Andrea Lemos acredita no pode do diálogo para desocupar barracos.

Na visita ocorrida nas primeiras horas desta quinta-feira, 4, aos barracos construídos irregularmente no terreno onde funcionou o antigo lixão, na Pedro Lopes de Araújo, os técnicos da Secretaria Municipal de Assistência Social instruíram as únicas duas famílias encontradas residindo nos 20 barracos, para comparecer ao Centro de Referência da Assistência Social-CRAS.

A orientação da primeira-dama e Secretária de Assistência Social Andrea Lemos é que essas famílias preencham um cadastro, para identificar a extrema vulnerabilidade.

— “Eles serão assistidos pelo aluguel social, em observância aos requisitos da Lei de benefícios eventuais”, disse. O Município estipulou o prazo de 15 dias para a desocupação voluntária e caso ultrapasse esse prazo, serão adotadas as medidas cabíveis para reintegração de posse e desocupação do espaço público.