Gustavo Santiago tinha razão!

Algum tempo atrás o vereador da oposição ao governo, Gustavo Santiago (SD), me disse após o término de uma sessão acalorada que “Ser oposição é ser minoria, e decidi querer pagar o preço por ser de lado oposto, fato que a maioria não quer pagar”. No primeiro momento daquela pequena prosa não concordei em parte, mas com o passar do tempo acompanhando de perto as sessões do legislativo me convenci que ele tinha de fato razão!

O governo não precisa de uma oposição que sempre pregue o quanto pior melhor, mas de uma oposição fiscalizadora e responsável. Nas sessões da câmara o vereador tem olhado de um lado para o outro com esperança, e em busca de ajuda e apoio de seus colegas de bancada, para que os requerimentos e as reivindicações do povo sejam atendidos em tempo.

Mais este personagem da foto tem sido vencido pela maioria em quase todas as sessões, a maior parte dos vereadores seguem o voto do líder do governo na câmara, o vereador Edinor Albuquerque, basta ele estralar o dedo que todos os demais da base governista se rendem sem nenhuma argumentação plausível que convença o público presente.

Todos nós sabemos que a oposição tem o direito de exercer seu papel democraticamente, mas desde que seja de forma responsável e equilibrada, e neste biênio, até agora, o vereador Gustavo Santiago tem procurado fazer com ética e retidão, mas a maioria ainda não conseguiu alcançar levando pelo o lado politico.

Guamaré precisam de vereadores que fiscalize a administração num todo, que atue como agente capaz de aperfeiçoar proposições de governo, sendo catalisador das demandas e insatisfações populares e, de certa forma, ajudar o governo e os secretários do governo a errar menos, e administrar melhor.

Na ultima sessão o vereador Gustavo perdeu mais uma batalha… A maioria dos vereadores resolveu não aceitar o requerimento que solicitava a presença do Secretário de Agricultura Municipal, José Reginaldo, para explicar a distribuição de recursos da pasta. Já é o segundo secretário que é convocado pela câmara e é brindado pela maioria.

Há que saudade do secretário de saúde, hoje prefeito Adriano Diógenes, na época dele não só ele fazia questão de ir à Câmara Municipal, ou Ministério Público, prestar qualquer esclarecimento sobre a pasta que ele gerenciava da secretaria de saúde, como ele fazia ainda muito, mais muito.

A prestação de contas deste exemplo de um homem público não era na CCJ – Comissão de Constituição e Justiça, na sala de reunião, em quatro paredes a portas fechadas sem o conhecimento da população. Adriano realizada audiência pública, e convidava toda população para falar do orçamento, e prestar contas de sua gestão, dever de todo gerenciador de despesas. Os anais do blog é minha testemunha!

Aqui pra gente… Gustavo tinha razão!

(Visited 297 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.