sss-2
ferragens-pai-e-filhos
jm-variedades
redecon 2
Banner-Blog-Guamare-em-dia---1140x140px
Banner-Blog-Guamare-em-dia---1140x140px
Bomba! Ministério Público abre inquérito contra carnavais feitos por Tulio Lemos em Macau

Bomba! Ministério Público abre inquérito contra carnavais feitos por Tulio Lemos em Macau

O Ministério Público Estadual através da Promotora Isabel Siqueira de Menezes instaurou Inquérito Civil Público com o objetivo de investigar a contratação de bandas musicais, palco, som e iluminação pelo Senhor Jader Pinheiro Vieira (Jader da sorveteria) que promoveu a Festa do Carnaval na Praça da Conceição no ano de 2017. Figuram como investigados o Sr. Jader Pinheiro Vieira e o prefeito de Macau Túlio Bezerra Lemos e como representante da denúncia o vereador Emmanuel Clélio Kekel

Em virtude das várias denuncias existentes no MP sobre irregularidades nos carnavais de 2017 e 2018 a Promotora achou melhor juntar todas as denúncias num inquérito só e vai começar a investigar os carnavais de Túlio Lemos pelo ano de 2017 mais especificamente com as festas do bloco do Cordão da Fantasia e do Frevo na Praça do respectivo ano.

O Blog É isso aí! vem acompanhando o caso e faremos agora uma retrospectiva para o leitor:

Em janeiro de 2017 o MP emitiu uma recomendação ao prefeito Túlio Lemos que não gastasse dinheiro público com a realização de eventos para a festa de carnaval. Túlio tentou de todas as formas não cumprir a recomendação, chegando a divulgar em programas de televisão atrações musicais e trios elétricos, além de afirmar que usaria a Lei Rouanet para captar recursos para a realização das festas. Quando se viu sem saída o prefeito Túlio Lemos anunciou em cima da hora que acataria a recomendação do MP e não gastaria dinheiro público com o carnaval de 2017, mas alguns eventos festivos geraram suspeita sobre quem de fato estaria desembolsando dinheiro para realizá-los, um exemplo foi o Cordão da Fantasia.

O Cordão da Fantasia apesar de em anos anteriores sofrer com a falta de recursos para literalmente botar o bloco na rua, apenas em 2017 contou com recursos e estruturas invejáveis a qualquer empresa especializada em realizações de festas e eventos. Um dos pontos levantados mais suspeitos foi a realização de um baile no antigo mercado com atrações reconhecidas nacionalmente, como o cantor Isaac Galvão, uma grande estrutura de palco som e iluminação e para a estranheza de todos o evento foi totalmente gratuito. Além de trio elétrico de pequeno porte e banda a disposição do cordão da fantasia para o seus foliões brincarem pelas ruas da cidade de graça. Um fato que fica difícil de explicar era o quê funcionários da prefeitura ajudavam na montagem do evento.

Outro evento que levantou suspeitas foi o chamado “Frevo na Praça” que similar ao Cordão da Fantasia, realizou o evento com estrutura de palco, iluminação e bandas e foi patrocinado por uma sorveteria local cujo antigo dono é conhecido por Jader do sorvete que até então não se encontra registros da mesma patrocinar outros eventos ou qualquer outra coisa, mas que segundo alguns assessores do prefeito, seu Jader resolveu de bom coração gastar mais de 10 mil reais com o evento para que todos pudessem se divertirem gratuitamente enquanto ele ganhou o retorno de algumas bolas de sorvetes vendidas em noites de chuva. Um fato pra lá de suspeito é que populares frequentadores da praça que se realizou o evento afirmam que o prédio onde funcionava a sorveteria estava com vários meses de aluguel atrasado e para surpresa geral a sorveteria fechou as portas por motivo de falência dias após a realização do evento que ela teria patrocinado com 10 mil reais, seu Jader junto com o prefeito Túlio Lemos figuram como investigados no Inquérito instaurado pelo MP.

Em se tratado do carnaval de 2018 as investigações apontam irregularidades já constatadas na famosa Operação Máscara Negra do MP. Tudo começa quando no mês de dezembro de 2017 a prefeitura arrecadou mais de 8 milhões de reais, mas mesmo assim Túlio não pagou sequer a folha salarial de dezembro, nem mesmo o salário dos professores que recebem através de verbas carimbadas do FUNDEB e que hoje também é alvo de investigação do MP.

No dia 23/01/2018, nós do Blog É isso aí! escrevemos que fontes informaram a nossa redação que o prefeito utilizou o dinheiro que seria destinado a pagar os salários dos servidores, contratados, fornecedores, aposentados e pensionistas no mês de dezembro para contratar trio elétrico e atrações musicais como por exemplo Luizinho Nobre e que já estava tudo alinhavado entre a prefeitura de Macau e os artistas, donos de palco, trio etc. faltando apenas o aval do Ministério Público para o evento ser anunciado.

Caso o MP não aceitasse que a prefeitura utilizasse recursos para realizar o evento, Túlio alegaria no MP que quem iria patrocinar o carnaval de Macau seria uma empresa privada, ou seja, uma empresa realizaria o carnaval de Macau e a prefeitura daria apenas o suporte, quando na verdade Túlio estaria usando os recursos que não gastou em dezembro de 2017, inclusive dinheiro do FUNDEB.

O Blog É isso aí! disse e de fato aconteceu, O MP não permitiu que a prefeitura realizasse o carnaval 2018 e Túlio anunciou que todo o carnaval seria bancado pela iniciativa privada através do empresário Valmir Mendonça e com patrocínio do supermercado Rede Mais.

Túlio cedeu espaço de festas e firmou parcerias obscuras com o empresário Valmir Mendonça diretamente envolvido na operação Máscara Negra do Ministério Público Estadual tendo inclusive seus bens bloqueados pela justiça acusado de superfaturamento de bandas no ano de 2012 também na cidade de Macau/RN.

Segundo o MP após ampla colheita probatória nos autos dos inquéritos civis e procedimentos preparatórios instaurados no âmbito do Ministério Público, especificamente no que tange à “Operação Máscara Negra”, restou demonstrado que “a realização de grandes eventos em Macau, são, em verdade, instrumentos para o desvio de dinheiro público, sendo as contratações manipuladas por empresas que, associadas ao gestor, ‘levavam’ a grande fatia dos recursos empregados”.

Alguns pontos que geram suspeitas sobre irregularidades no carnaval de 2018 são por exemplo a falta de transparência em que se deu essa parceria público privada onde nada foi publicado em diário oficial, nem mesmo a cessão do clube da praia para o empresário Valmir Mendonça como afirmou o prefeito Túlio Lemos em entrevista concedida a emissoras de TV.

Valmir aliás é peça fundamental das investigações, pois segundo o próprio prefeito foi o maior patrocinador para que as festas acontecessem doando trio elétrico e bandas para tocarem de graça no arrastão do campeonato de blocos e no tradicional mela mela. Fato que desperta suspeita uma vez que o empresário do ramo de festas doou um trio elétrico e uma banda para tocar de graça para a população enquanto ele mesmo realizava outra festa ao preço de 30 reais a entrada no mesmo dia e horário, resultando num prejuízo no primeiro dia de festa de milhares de reais, ou seja, o empresário teria sido o principal causador do seu prejuízo propositadamente. Além do cancelamento de vários shows e de abrir os portões do clube para que o público entrasse gratuitamente, ora, se o público entrou de graça e o empresário teve um prejuízo ao final do evento de centenas de milhares de reais de onde saiu o dinheiro para ainda assim doar trio elétrico e bandas para tocar de graça durante 5 dias de festa?

Agora o MP deve descobrir todas as perguntas e segredos que escondem os carnavais feitos por Túlio Lemos. Túlio que tanto criticou os ex-prefeitos por irregularidades nas festas de carnaval, hoje é alvo que investigação pelo mesmo motivo.

Clique nos links abaixo e leia todas as matérias sobre o assunto já escritas no Blog É isso aí!

EM MACAU ALGUNS EVENTOS NO CARNAVAL SÃO SUSPEITOS MESMO COM RECOMENDAÇÃO DO MP

TÚLIO QUER USAR SALÁRIO DOS SERVIDORES PRA FAZER CARNAVAL EM MACAU

TÚLIO TRAZ DE VOLTA A MÁSCARA NEGRA PARA O CARNAVAL DE MACAU

CARNAVAL DE MACAU SERÁ ALVO DE INVESTIGAÇÃO

É isso ai! – Por Leandro de Souza

Ferragens Pai e Filho