O Auto da Compadecida: Filme retrata realidade de ganância ao dinheiro com vendas de terras da igreja em Guamaré

No texto de Ariano Suassuna vemos como todos os personagens são corrompidos pelo dinheiro, até mesmo aqueles que supostamente não deveriam estar ligados à matéria (caso dos religiosos). São desses que sempre a sociedade que seja despojada de ambições financeiras, da ganância e da cobiça, até porque por ironia é um dos pecados capitais condenados pela própria Igreja.

Pois bem…

Circula nas redes sociais e grupos de whats app uma denuncia grave, gravíssima, sobre vendas de terras da igreja católica na calada da noite, a surdina, no escuro, sem conhecimento dos fies, nem muito menos do padre Gilvan, e do próprio conselho deliberativo da paróquia Nossa Senhora Imaculada da Conceição, que veio tomar conhecimento da veracidade da noticia através de terceiros.

Como fazer uma pergunta às autoridades da igreja católica, e ao bispo Dom Jaime Vieira Rocha, não ofende e não é pecado, a pergunta é… “Cadê o dinheiro das terras da santa que foram vendidas, e que nem sequer a comunidade paroquial sabia desta transição de venda, nem mesmo o próprio Padre Gilvan?”. O Senhor ecônomo da arquidiocese de Natal, é acusado de tamanha irresponsabilidade contra o povo católico em Guamaré.

Há quem afirme que a paroquia de Nossa Senhora da Conceição, acumula uma divida de mais de R$ 100.000,00 (cem mil reais), e com a venda das terras feita a surdina, a arquidiocese em Natal não teve piedade da igreja em Guamaré, e de seus próprios membros de resolver este problema penalizando o padre e os demais fies que hoje amanheceram com a alma triste.

Com tudo isto acontecendo acreditem se quiser… Mais a matriz em Natal não perdoou a divida da Paroquia Nossa Senhora da Conceição, que a anos vem contabilizando um saldo negativo com a arquidiocese, sendo penalizada pela ganância da SEDE localizada na capital do estado.

O padre Gilvan que cuida das ovelhas em Guamaré sequer tem uma casa paroquial morar, ele reside de aluguel, e a matriz ao vender as terras da santa sequer lembraram-se deste fato humilhante que passa o padre na cidade. Mas mensalmente a igreja católica é obrigada a repassar um valor arrecadado dos fies para a arquidiocese em Natal.

A igreja hoje sobrevive do amor dos fies e de uma pequena porcentagem do aluguel das eólicas e viveiros, mas mesmo assim, a maior parte é de logo repassado mensalmente da paroquia para a diocese.

O que podemos constatar é que com essa bomba noticiada nas redes sociais desde ontem (09), o povo católico não anda contente e quer em tempo uma resposta e uma solução.

A Igreja e seus membros estão sempre em campanhas, festas, eventos e lutas para que a igreja se livre das contas que não são poucas, mas os problemas da igreja parecem serem ignorados pelo a arquidiocese em Natal.

Enquanto isto, o povo católico na cidade está triste, desmotivados e quer saber… Cadê o dinheiro das terras da santa que deveria está aqui? A quem foi vendida essas terras? Por quanto foi o valor? O espaço aqui fica aberto para a arquidiocese se manifestar caso ache necessário.

(Visited 215 times, 2 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.