Macau: Zé Antônio dar “nomes aos bois” e diz que recusou três secretarias no governo Túlio Lemos

Macau: Zé Antônio dar “nomes aos bois” e diz que recusou três secretarias no governo Túlio Lemos

Blog Celso Amâncio

No final da noite deste domingo, 26, o médico e ex-prefeito de Macau, José Antônio Menezes fez contato com o Blog para reafirmar o que havia declarado mais cedo ao blogueiro Wallacy Atlas.

Zé Antônio diz ter sido convidado a não comparecer mais ao setor de obstetrícia do Hospital Antônio Ferraz de Macau no início de 2017.

Ao Blog, o ex-prefeito fez questão também de responsabilizar pela informação a enfermeira Nayara Almeida, chefe do Setor de Enfermagem do hospital na época, a quem se referiu como uma excelente profissional. Nayara é esposa do médico e colega de profissão de José Antônio, o jovem Arian Cézanne.

“Recebi a informação de uma pessoa de extrema confiança do prefeito e da direção do hospital. Não foi de qualquer um”, esclareceu o ex-prefeito.

Conversas políticas

Sobre as conversas ocorridas de 2017 para cá com o prefeito Túlio Lemos, o ex-prefeito Zé Antônio lembra que conversou com o gestor uma única vez. “Politicamente conversamos apenas no início de 2019. Tulio não me ofereceu somente uma secretaria, foram três: Assistência Social, Esporte e Saúde, que seria ocupada por minha esposa Terezinha, meu filho Rodrigo e por mim”, pontuou o médico.

Na época, Menezes disse que informou ao prefeito que não tinha como se compor politicamente com o governo, porque até aquela data o governo não tinha começado. “Me neguei a participar do governo desse modo, porque o governo não estava indo para canto algum e o resultado está ai até hoje”, revelou José Antônio, informando que este ano, não teve qualquer conversa com o prefeito Tulio Lemos.

José Antônio esclarece ainda que em outra ocasião, tratou com o prefeito Tulio Lemos exclusivamente sobre a reabertura da Maternidade José Varela.

Desabafo

Zé Antônio também declarou com exclusividade ao Blog que mais recentemente recebeu um convite para assumir os plantões no hospital. O convite não partiu do prefeito e sim da então Secretária de Saúde, Sâmia. “Eu disse que realmente não queria, porque já tinha sido expulso do hospital”, pontuou.

“Fiquei muito sentido. Sou filho de Macau, terminei meu curso, sai de Natal direto para Macau. Trabalhei no hospital com Wilson nos governos de Flávio e Kerginaldo, mesmo fazendo campanhas políticas em lados opostos e nunca tivemos problemas”, desabafou.

Sentimento de injustiça

Com 40 anos de formação em Medicina, o médico José Antônio declarou que o intuito do prefeito Tulio Lemos “era tirá-lo da cidade”.

“Ele achava que eu ia embora ou passava fome sem a prefeitura. Estou sobrevivendo até hoje e espero que quando terminar este ano, seja quem for o prefeito, eu volte a trabalhar na minha terra”, concluiu.

(Visited 230 times, 1 visits today)