MPRN reforça dia “D” da mobilização nacional de vacinação contra poliomielite e de multivacinação

MPRN reforça dia “D” da mobilização nacional de vacinação contra poliomielite e de multivacinação

Notícias do MPRN

Nos últimos dois anos, os órgãos de saúde têm registrado que as coberturas vacinais estão abaixo das metas estabelecidas pelo Governo Federal.

Diante disso, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) reforça que durante esse mês está ocorrendo a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação contra patologias imunopreveníveis para evitar que esse público-alvo adoeça e seja agente transmissor de doenças.

Além disso, o dia “D” da mobilização nacional será no próximo sábado (17), com os poderes públicos e de toda a rede de proteção à infância e à juventude unindo esforços para atualizar as cadernetas de crianças e de adolescentes.

“Tem havido uma queda nos índices de imunização. Por questões sociais, muitas pessoas hoje se posicionam contra a vacinação, porém no atual período pandêmico a situação se agravou muito. As pessoas deixaram de procurar as unidades de saúde”, destacou a promotora de Justiça da 62ª de Natal, com atribuição na defesa dos direitos à saúde, Raquel Fagundes.

De acordo com a representante ministerial, a grande maioria das crianças está com o cartão de vacinação atrasado, seja porque os pais não foram às salas de vacina ou porque as próprias salas de vacina deixaram de funcionar também por falta de pessoal. “Então é o dia ‘D’ é a oportunidade para tentar reverter esse quadro”, apontou.

Os números sobre a cobertura de imunização referentes a Natal comprovam a tendência à queda dos números: Rotavírus foi 82,9% em 2019 e 68% em 2020; VIP, foi 79,8% em 2019 e 61,6% em 2020; Meningo C foi 81,6% em 2019 e 66,8% em 2020; Tríplice Viral foi de 92,6% em 2019 e 73,6% em 2020; Hepatite A foi de 81,4% em 2019 e 62,5% em 2020; Varicela foi de 62,6% em 2019 e 58,3% em 2020; Penta foi de 78,2% em 2019 e 56,1% em 2020; e Pneumo foi de 87,3%  em 2019 e 69,9% em 2020.

A exceção ficou por conta da BCG, que apresentou índices satisfatórios nos dois últimos anos (a cobertura em 2019 foi de 114,9% e em 2020 de 127,8%). Os dados, fornecidos no boletim de imunização da secretaria de Saúde da Prefeitura do Natal, correspondem ao comparativo de janeiro a agosto de 2019 com os mesmos meses em 2020.

Até 2018 houve ampliação na abrangência da imunização na  população em Natal, quando comparando os dados com 2016, em pelo menos três tipos de vacina: a Pentavalente, que aumentou a cobertura de 77,1% em 2016 para 99,23% em 2018; a Poliomielite, que passou de 72,48% de cobertura em 2016 para 95,49% em 2018; e a Pneumocócia, com cobertura ampliada de 83,37% para 92,01%.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) fixa diretrizes para salvaguardar e defender os direitos à vida e à saúde de crianças e adolescentes. Para isso, estabelece a imunização como um direito a ser garantido, incluindo a penalização dos pais que não levarem os filhos para serem vacinados.

Campanha de vacinação 2020 quer atingir cobertura de 95% do público-alvo
Crianças e adolescentes menores de 15 anos, não vacinados ou com esquemas incompletos de qualquer vacina, devem comparecer às unidades de saúde para atualizar a caderneta de vacinação, finalidade da campanha de multivacinação. Serão ofertadas todas as vacinas do calendário nacional de vacinação da criança e do adolescente.

No público-alvo da campanha contra a poliomielite estão crianças menores de 5 anos de idade, com estratégias diferenciadas para crianças com até 1 ano incompleto e para aquelas na faixa etária de 1 a 4 anos. A depender do esquema vacinal registrado na caderneta, a criança poderá receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), como dose de reforço ou dose extra, ou a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), como dose de rotina.

A estimativa do Ministério da Saúde é que haja no país 11,2 milhões de crianças nessa faixa etária. A meta é imunizar 95% desse público.

(Visited 1 times, 1 visits today)