sss-2
ferragens-pai-e-filhos
jm-variedades
redecon 2
Banner-Blog-Guamare-em-dia---1140x140px
Banner-Blog-Guamare-em-dia---1140x140px
Acusado de matar Alcilene Brito “Fia” Chega ao fórum em Macau sobre forte escolta policial.

Acusado de matar Alcilene Brito “Fia” Chega ao fórum em Macau sobre forte escolta policial.

IMG_9522

O acusado pela morte de Alcilene Brito Costa, “Fia”, chegou ao Tribunal do Júri do Fórum Dr. Belarmino Paredes Vieira Barbosa, em Macau, sobre forte escolta policial.

O júri começou por volta das 13 horas com a presença da Juíza, promotores, advogados de acusação e defesa, além dos sete jurados e a população que compareceu em peso.

Não previsão de horário para terminar o Juri, a juíza começou a ouvir as testemunhas de  acusação e logo após ouvirá as testemunha de defesa, para depois o promotor e os advogados se manifestaram sobre o crime que parou a cidade de Guamaré no dia 23 de dezembro de 2011.

Alcilene era conhecida como Fia, e foi morta degolada covardemente pelo o ex-namorado na Rua Sete de Setembro em Guamaré. A morte  foi planejada pelo o assassino que fugiu sem deixar pistas.  Cleiton passou um ano foragido da justiça, e quando viu que estava sendo procurado pela polícia se entregou.

O medo de ficar frente a frente com o assassino da filha, tem tornado os últimos dias ainda mais difíceis para a dona-de-casa Marinalva Vitoriano. Ao mesmo tempo, é tomada por uma sensação de alívio ao saber que o homem que assassinou sua filha, Cleiton Salustiano “PEREIRA”, enfrenta o banco dos réus.

Vinte e cinco jurados foram sorteados na semana passada para comparecer ao Fórum. Sete deles foram sorteados para constituir o Conselho de Sentença. Policiais militares estão fazendo a segurança do local.

 “Ele tirou parte de mim”

Sentada na calçada do fórum hoje ainda cedo, Marinalva não conseguiu conter as lágrimas, passado três anos da morte da sua filha. “Ele tirou parte de mim. Tem dias que estou bem, mas têm outros que só o que sei fazer é chorar”, disse.

Disse ainda que depois da prisão de Cleiton,  o viu rapidamente durante uma audiência no Fórum. “Eu o vi passando, foi o suficiente para passar mal. É difícil encará-lo, mas hoje estou aqui e quero justiça”.

Edinor Albuquerque e Juliana Perez, são os advogados de acusação de Cleiton Salustiano.

O blog está acompanhando, aguarde novas informações do Juri Popular a qualquer momento.

IMG_9528