RN poderá ser um dos primeiros estados do Pais a decretar o fim da pandemia da Covid-19

RN poderá ser um dos primeiros estados do Pais a decretar o fim da pandemia da Covid-19

Jornal de Fato

A governadora Fátima Bezerra afirmou que o Rio Grande do Norte pode decretar o fim da obrigatoriedade do uso da máscara “em determinadas situações” em dezembro desse ano. A declaração foi dada em entrevista à Inter TV e na cerimônia de instalação do Governo do Estado em Mossoró. Veja sobre a instalação do governo em Mossoró na página 3 do caderno Principal.

Fátima Bezerra explicou que o governo trabalha nesta perspectiva de liberar em algumas situações o equipamento que é obrigatório desde maio do ano passado. “Nós estamos trabalhando na perspectiva de em dezembro já irmos flexibilizando o uso da máscara”, disse durante a cerimônia na Reitoria da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Ainda durante o evento, a chefe do executivo potiguar disse que o Rio Grande do Norte caminha para ser um dos primeiros estados do país a decretar o fim da pandemia da Covid-19, iniciada em março do ano passado.

“E por que não sonhar que o Rio Grande do Norte dê lição para o Nordeste, para o Brasil sendo um dos primeiros estados a decretar o fim da pandemia”, ressaltou a governadora que disse ainda que a população deve continuar obedecendo às medidas estabelecidas pelas autoridades sanitárias, como, por exemplo, a higiene das mãos, o uso da máscara e evitar aglomerações.

“Isso exigirá muito senso de responsabilidade de todos nós no sentido de darmos os passos seguros obedecendo sempre às orientações da ciência para que não tenhamos nenhum retrocesso, muito pelo contrário, que possamos avançar”.

O assunto sobre a flexibilização do uso de máscara no último mês do ano já tinha sido abordado na semana passada. Em entrevista ao jornal Tribuna do Norte, o secretário de Saúde do Rio Grande, Cipriano Maia, disse que o percentual de 70% de vacinados com as duas doses é satisfatório para pensar num controle da pandemia e estimar para o último mês do ano a possibilidade de flexibilizar o uso da máscara.

O secretário de Saúde do estado também destaca que qualquer anúncio sobre flexibilização do uso da máscara será fundamentado em dados, informações e análises que deverão ser anunciados oportunamente mediante decretos e portarias.

“Nesse momento em que retomamos a realização de eventos de massa é importante destacar que o uso dos protocolos sanitários instituídos em decretos e portarias precisam ser respeitados, seja o uso da máscara, seja a exigência da vacinação, seja o distanciamento físico nos espaços e também os protocolos de higiene”, ponderou Maia que disse ainda que qualquer decisão deverá passar por órgãos que analisam os dados da pandemia e diálogo com os gestores municipais.

“Nós estamos monitorando a pandemia. Vamos analisar o comportamento da epidemia a partir dessa retomada das atividades sociais e qualquer anúncio passará pela escuta do Comitê Científico, do parecer da Vigilância Sanitária e epidemiológica e da discussão com os gestores municipais. No momento oportuno a gente vai estar fazendo comunicados com base nas análises científicas nas decisões baseadas na ciência para que a gente possa manter o controle da pandemia no estado”, completou.

VACINAÇÃO

Fátima Bezerra justificou que o avanço da vacinação contra o novo coronavírus está fazendo a pandemia recuar. No entanto, mesmo com índices favoráveis, a governadora disse que o cenário positivo do momento não significa dizer que “tem de baixar a guarda” e pediu para que as pessoas continuem respeitando as medidas para que a pandemia recue ainda mais para que a vida do potiguar continue a voltar à normalidade.

Até o final da tarde desta terça-feira, 28, o Rio Grande do Norte tinha 78% de pessoas parcialmente vacinadas e 46% de totalmente vacinadas contra a Covid-19, informava o Monitoramento da Vacinação do RN Mais Vacina, sistema que acompanha em tempo real a imunização contra o novo coronavírus no território potiguar.

Haviam tomado a primeira dose da vacina 2.359.691 cidadãos residentes no estado. Já 1.403.719 encerraram o ciclo vacinal, ou seja, tomaram as duas doses ou a dose única. O estado tinha até o encerramento desta edição 1.347.557 de pessoas que receberam as duas doses e 56.162 da dose única.

O Rio Grande do Norte tinha aplicou 5.044 doses de reforço. Destas, 4.787 aplicadas em pessoas acima de 70 anos e 257 em imunossuprimidos.

O total de doses administradas pelas salas de vacina era de 3.763.410. Já o total de doses recebidas para a campanha de vacinação estava em 4.663.630.

JM Variedades