sss-2
ferragens-pai-e-filhos
jm-variedades
redecon 2
banner site png-1
Skay Arte Guamaré Beto 2
Vereador Gustavo Santiago polemiza sobre a legitimidade da chefe de gabinete fazer a leitura anual do prefeito Hélio.

Vereador Gustavo Santiago polemiza sobre a legitimidade da chefe de gabinete fazer a leitura anual do prefeito Hélio.

sessão solene 037

Durante a sessão realizada nesta sexta-feira (20), na Câmara Municipal de Guamaré, para a leitura da mensagem anual do chefe do poder executivo, o prefeito Hélio Miranda, o Vereador Gustavo Santiago, questionou o presidente da mesa diretora, Eudes Miranda, o motivo da mensagem anual do executivo, que normalmente é lida pelo prefeito do município, foi lida pela a chefe de Gabinete Civil Monalisa Cavalcante.

O presidente Eudes Miranda, respondeu ao colega, dizendo que ausência do prefeito, informada logo no inicio da sessão, estava justificada através de um atestado médico, e que mesmo estava sendo representado pela a Chefe de Gabinete para fazer a leitura anual.

Gustavo – que se desculpou pelo atraso na sessão –  criticou duramente a substituição do prefeito pela um dos seus auxiliares, no caso Monalisa, dizendo que a mesma não tinha legitimidade para tal.

Eudes rebateu dizendo, que não via nenhum problema, pois Monalisa era uma funcionária de primeiro escalão, com status de secretário, porém tinha legitimidade para fazer a leitura. Mas, mesmo assim acatava a reclamação do vereador.

O vereador disse que a Câmara precisava sem impor, não podia passar por uma situação dessas, e aproveitou para cobrar também a ausência da vice-prefeita, Maria Sousa, que segundo Gustavo seria ela quem deveria fazer leitura.

Acredito que vereador polemizou desnecessariamente, pois todos sabem que a mensagem da presidente Dilma foi lida pelo primeiro-vice-secretário da Mesa Diretora da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), e entregue pelo ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante (LEIA AQUI)

Em Areia Branca a mensagem anual da prefeita Luana Bruno (PMDB) foi representada e lida pelo secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, professor Naelson Oliveira. (LEIA AQUI)

Polêmica à parte, o presidente casa encerrou a sessão dizendo que não iria tratar uma sessão solene  como uma sessão ordinária ” Encerro esta sessão da mesma forma que foi aberta, com harmonia entre os representantes desta casa”. Disse Eudes. Fonte: Ponto Critico.