Voto Casado em Guamaré: Quem pagou e quem vai pagar o preço da infidelidade?

Voto Casado em Guamaré: Quem pagou e quem vai pagar o preço da infidelidade?

As eleições municipais deste ano ficou marcado pelo maior número de abstenções, mas não podemos jamais nos esquecer de um ponto preponderante para avaliar o resultado das urnas no ultimo dia 15 de novembro.

Não somente para prefeito, mas devemos levar em conta os números de votos para vereadores dados às coligações. O voto não casado quase leva o prefeito eleito Hélio de Mundinho à derrota nas urnas tamanha foi à infidelidade.

Na verdade, quem chega mais perto da casa dos eleitores, em especial na zona rural, são unicamente os candidatos a vereadores que fizeram a campanha corpo a corpo, mais do que os próprios candidatos a prefeito.

Sandália da humildade

Mesmo sabendo deste possível número negativo na soma da tabuada e do risco que corria, o candidato a prefeito do MDB precisou colocar o pé no chão, trabalhou dia e noite em busca de mais um voto para fazer dele e pretinha, o Prefeito e Vice-Prefeita de Guamaré para governar para todos.

Um líder injustiçado

Durante a campanha Hélio foi perseguido, caluniado, maltratado nas redes sociais, de tudo fizeram para barrar sua candidatura, até pedido de impugnação a justiça eleitoral foi feito por parte de seus opositores, mas ele não desistiu de enfrentar os inimigos invisíveis e os visíveis fora e dentro do próprio grupo.

Separar o joio do meio do trigo era perigoso naquele momento, pois havia risco de perder a colheita. Um candidato que precisou suportar o insuportável em prol de um projeto coletivo.

O que chama atenção do candidato, é que ele mesmo diante das injustiças e dos ingratos, ele pregou no palanque que iria governar para todos, como sempre fez quando foi prefeito por duas vezes.

Visão de águia

Se Hélio não tivesse caminhado pedindo as famílias um voto de confiança, a derrota era tida como certa para a majoritária. O voto casado em Guamaré sempre foi um pesadelo, visto e dito por muitos e nesta eleição a infidelidade esteve em alta como nunca visto na história.

Contraditório

A coligação “Esperança Renovada” obteve 8.342 votos (66,96%), ou seja, quase 2 mil eleitores votaram nos vereadores da coligação do MDB, mas não votaram no prefeito Hélio de Mundinho, que obteve nas urnas apenas 6.347 votos, quando poderia ter obtido 8.342 votos.

Talvez para muitos essa diferença de votos para a majoritária da coligação, não faça alguma diferença para a gestão que terá início em 1º de janeiro de 2021, mas quando se trata da política de Guamaré fará! Isto só iremos nos dar conta de fato quando iniciar as novas nomeações e contratos.

A coligação do Solidariedade, por exemplo, obteve 3.620 (29,06%), ou seja, 2.277 votos vieram das demais coligação do MDB, PSDB e PSC.

Estes votaram no candidato a Prefeito Mozaniel Rodrigues, que obteve nas urnas 5.897 votos, recebendo dos seus adversários o voto para a majoritária. Caso não tivesse este êxito, Mozaniel teria obtido nas urnas somente 3.620 votos.

Das 100% das urnas apuradas o município de Guamaré registrou 14.474 votantes, sendo que 12.857 votaram, 1.617 foram eleitores que não votaram, anularam ou votaram em branco. Se este tivesse exercido o direito de sua cidadania teria mudado ou acrescentado o resultado das eleições.

A hora da onça beber água

Vamos dar tempo ao tempo para revelar quem realmente aparece bem colocado nos cargos disponível na prefeitura quando o prefeito eleito pelo o povo assumir o palácio Luiz Virgílio de Brito, no dia 1º de janeiro de 2021.

Se de fato forem aqueles que deram a cara pra bater, ou os conchavos e aliados políticos, que mesmo votando contra o prefeito tem de alguma forma uma cadeira ao lado do rei.

Pagando pra ver

O blog Guamaré em Dia estará atento no portal da transparência e nas informações recebidas na redação pelos os leitores, com um olho no peixe e outro no gato.

Sempre com o ouvido no chão para dar em primeira mão o resumo da ópera, pois quem vive a política de Guamaré bem sabe como a banda tem tocado, e onde o sapato tem apertado.

Punindo os mais frágeis, porém fiéis, que sofrem a injustiça muitas vezes por não se curvar na fila do excluídos ou por falta de um padrinho político com os nervos de aço. A lupa será jogada e os olhos estarão bem abertos para conferir as cenas a seguir.

(Visited 474 times, 8 visits today)